“Eu quero fazer história como dirigente”

A Chapecoense apresentou, na manhã desta terça-feira (07), a nova função de Neto. Após anunciar a sua aposentadoria dos gramados, o ex-zagueiro foi convidado pela diretoria alviverde para integrar o Departamento de Futebol do clube e, a partir de agora, assumirá a superintendência do setor.

Ao lado do Presidente Paulo Magro, do Vice-Presidente de Futebol Mano Dal Piva e do Supervisor de Futebol Michel Gazola, Neto recebeu as boas-vindas e falou sobre as expectativas para exercer o novo papel. “Conversamos bastante e o que eu posso falar é que, depois de tudo o que aconteceu, eu fico muito feliz e emocionado de estar aqui. Não que fosse uma posição que eu quisesse desde o início, eu nunca almejei algumas coisas na minha vida; as coisas vão acontecendo e a gente tem que crescer pessoalmente e profissionalmente para que outras coisas comecem a entrar na nossa vida. O meu pós-tragédia foi de muita luta pra ser um atleta, mas eu sempre entendi o lado do clube, desde o início. Eu sempre entendi que a Associação Chapecoense de Futebol está em primeiro lugar. A nossa luta é pra que ela cresça. (…) Eu quero fazer história como dirigente, podendo montar uma grande equipe, junto com todos aqui, fazer com que o torcedor volte a lotar a Arena Condá e que sejamos campeões. Isso é fantástico. isso é o que eu almejo na minha vida”.

Mesmo com o trabalho duro na tentativa de retornar aos gramados, Neto falou que já vinha recebendo indícios de que deveria assumir um cargo no departamento de futebol. “As coisas já vinham sinalizando para que eu pudesse exercer uma função dentro do clube. E vinham sinalizando pelas outras pessoas de fora. Muita gente chegava pra mim e dizia: ‘Você tem perfil para ser dirigente do clube. Você é um cara honesto, batalhador. Você não vai roubar um real do clube. Você não vai deixar que atrapalhem o clube. Você fala. Você se impõe’. Então, foi algo que foi acontecendo naturalmente”.

Neto afirmou que já tem aprendido muito com os companheiros de departamento – Neto e Michel – e falou que, além disso, buscará se especializar para exercer, da melhor maneira, o que foi convidado a fazer. “O principal aqui não é o Neto, é a Chapecoense. Vou ficar muito feliz quando a Chape estiver sendo campeã, conquistando acessos, chegando aos lugares que estive quando era atleta. Minha felicidade vai estar cada vez maior conforme a Chapecoense estiver crescendo. A minha vida passa por esse símbolo” afirmou

Sobre as atribuições que deverá desempenhar, Neto falou destacou que fará o elo entre os atletas e a comissão técnica e a diretoria – por possuir a ótica do jogador – ajudando, de forma efetiva, no vestiário. Para tanto, o ex-zagueiro falou de referências que terá para seguir no cargo e ter um bom desempenho a frente dele. “Cadu e Maurinho eram diferentes. Em time grande, tem dirigente que não dá nem bom dia. Eles eram simples, iam tomar café da manhã de chinelo, por exemplo. Era pela simplicidade deles. Minhas referências são eles sim. Mas tem o Marcos Braz, do Flamengo, um cara com histórico lá. O Rodrigo Caetano também é um cara que onde está, as coisas funcionam. E tenho o Michel aqui comigo. Depois da tragédia, conversamos bastante. É um cara honesto e correto” finalizou.

Desde o início da pré-temporada, Neto está participando da rotina do futebol e, inclusive, auxiliando nas definições a respeito da contratação de atletas.

Por Alessandra Seidel

Notícias relacionadas


Últimas Notícias

Primeira edição do Outlet do Verdão acontecerá na próxima semana

Chapecoense é o primeiro clube brasileiro a lançar e-book escrito pelos atletas da base

Pré-temporada do Verdão terá início na próxima semana

Informação | 7 de dezembro de 2022

Alexandre Souza é o novo preparador físico da Chapecoense

×