Noticias

Colecionando histórias: na raça, Chape é Campeã Estadual de Juniores

30/03/2017 - 15:00

Com muita superação e emoção a Chapecoense escreve mais uma bela página na sua história, dessa vez nas categorias de base. Jogando fora de casa, perdendo por 1 a 0 e com um jogador a menos desde os 10 minutos da segunda etapa, o sub 20 da Chape não desistiu e buscou o gol de empate, com o atacante Silvano, de pênalti, que deu o título do Campeonato Catarinense de Juniores de 2016 para o Verdão. Essa conquista é um marco para a categoria, o primeiro título da Chapecoense nessa competição. Ao fim da partida o técnico Agnaldo Pereira fez questão de enaltecer toda a comissão técnica e também as pessoas que trabalham fora de campo e dão condições para que os atletas façam sua parte em campo.

O momento de maior emoção foi quando, de joelhos no gramado, em círculo, Agnaldo assumiu a palavra e, antes da oração, dedicou a conquista a todas as 71 vítimas do acidente aéreo na Colômbia, que completava quatro meses, exatamente no dia de ontem. Guardada as devidas proporções, o dia 29 volta a marcar esse clube, dessa vez positivamente.

Como era de se esperar, o jogo fui muito intenso, as duas equipes brigaram por cada palmo de campo do início ao fim, sempre com lealdade. Mesmo com vantagem de jogar pelo empate, a Chapecoense não se restringiu a se defender, tanto que a primeira oportunidade foi do Verdão. O meia, Japa, recebeu passe em profundidade e finalizou, da entrada da área, por cima do travessão. Na sequência, os donos da casa ameaçaram em duas oportunidades. Uma em bola parada, onde, após confusão na área, a bola sobrou para o atacante Flavio que finalizou para grande defesa do Tiepo. A Chape ainda chegou com o meia Vinicius, cara a cara com o goleiro do Tigre, mas não conseguiu finalizar.

Na segunda etapa o jogo ganhou muito mais emoção. Logo aos dois minutos o Criciúma abriu o placar com o volante Jean Mangabeira. Ainda assimilando o gol sofrido, a Chape perdeu o zagueiro Igor, expulso. Daí em diante o jogo se tornou dramático. Mesmo com um a menos, o Verdão soube se impor ao adversário e comandou as ações ofensivas. Aos 32, após passe em profundidade, Silvano chegou antes que o goleiro Eduardo, limpou a jogada e foi derrubado. Pênalti para a Chape. Aos 34 minutos, o próprio Silvano fez a cobrança e garantiu o empate e a taça inédita para a Chapecoense.

 Agnaldo destacou o grande adversário que enfrentaram, para ele, uma das melhores equipes do sul do Brasil na categoria. Isso enaltece ainda mais o resultado obtido. Ele ainda ressalta que a conquista é muito importante para cada um dos envolvidos, pois marcaram seus nomes na história do Clube. O atacante Silvano diz ser uma honra fazer o gol do título, mas que a conquista é de todos do grupo, Comissão Técnica e Diretoria.     

Texto e Foto: Rafael Bressan                 

Reciba novedades y contenidos exclusivos
Su correo electrónico se ha registrado correctamente!
Patrocinadores
Aurora
Havan
Unimed
Umbro