Marca histórica: Wellington Paulista completa 100 jogos pela Chapecoense

O jogo desta noite, contra o Corinthians, é um dos mais importantes da temporada alviverde. É decisivo – por ser o primeiro das quartas de final da Copa do Brasil – e histórico, porque a Chapecoense figura, pela primeira vez, entre as oito melhores equipes da competição. Muito além disso, no entanto, o jogo também marca uma conquista pessoal para o capitão Wellington Paulista. Quando entrar em campo para a decisão contra o time alvinegro, o camisa nove estará completando 100 jogos pelo Verdão.

Paulista chegou ao clube no início de 2017 com o compromisso de ser uma das peças do processo de reconstrução da equipe. Herdou a camisa 9 de Bruno Rangel – um dos maiores ídolos e o maior artilheiro da história da Chapecoense – e entendeu o peso da responsabilidade. Em pouco tempo, se tornou uma das maiores referências do grupo e fechou a temporada 2017 como o artilheiro da equipe, com 17 gols.

Mais do que carregar a faixa de capitão e exercer a liderança em campo, foi fundamental no processo de adaptação de todo o elenco – já que mais de 30 atletas foram contratados no início do último ano para integrar a equipe. O camisa 9 entendeu a essência do clube e transmitiu, com maestria, os valores e o espírito da Chapecoense aos companheiros. “Nós unimos todo mundo em um só objetivo que era vencer, buscar coisas grandes e boas pra Chape. E isso porque o próprio clube já faz isso. O clube já tem essa característica e esse clima de união, e eu acho que isso foi importante para a gente poder se unir ainda mais e se tornar essa família. Isso difere a Chape dos outros times”, destacou.

Além do “grupo família”, outro diferencial apontado por Paulista é a paixão do torcedor. “A torcida aqui é muito diferente. Todo mundo vive a Chapecoense. É o único time da cidade e todo mundo torce só para a Chapecoense, então isso é importante”, disse.

Com inúmeros grandes clubes no currículo, Wellington Paulista só atingiu a marca de 100 ou mais jogos no Cruzeiro e na Chapecoense. Por conta disso, a conquista é muito comemorada pelo atacante. “Pra mim é uma marca muito especial, até porque, até então, só tinha completado 100 jogos por um time na minha carreira. Completar tantos jogos pela Chape é algo que me deixa lisonjeado. E, além disso, conseguimos outras conquistas históricas e importantíssimas por esse clube, que significam ainda mais do que esta marca pessoal”, afirmou.

No início de 2018, Paulista – que estava no clube, inicialmente, por contrato de empréstimo – firmou vínculo com a Chapecoense por mais duas temporadas. “Eu espero, de coração, fazer muito mais jogos, superar essa marca.  Depois de tudo o que passamos para reconstruir este clube maravilhoso, me sinto parte desta família. É por isso que me dedico de corpo e alma. Este time, agora, faz parte da minha vida”, finalizou.

Por Alessandra Seidel

Notícias relacionadas


Últimas Notícias

Chapecoense é o primeiro clube brasileiro a lançar e-book escrito pelos atletas da base

Pré-temporada do Verdão terá início na próxima semana

Informação | 7 de dezembro de 2022

Alexandre Souza é o novo preparador físico da Chapecoense

Chapecoense sub-20 se reapresenta para a preparação da Copa São Paulo

×